Pouco caso do governo do Estado faz mais uma vítima fatal na Travessia da Morte

Travessia da Morte é como pode ser chamado o trevo de acesso para a Pureza. É um trecho de perigo, onde vários acidentes já aconteceram inclusive com vítimas fatais.
O Governo do Estado já foi alertado através do DER, por este jornal há vários anos, mas não deu importância e enquanto isso, mais vidas são ceifadas. Não precisa ser autoridade do transporte do estado para entender que ali é perigoso, basta ter senso, responsabilidade e ouvir os reclames dos contribuintes.
Qualquer pessoa que esteja passando pelo local, que precise ir para a Pureza ou para a Penitenciária, ou para as duas unidades da Fundação Casa, ao se deparar no cruzamento da pista, fica com certo receito de algum veículo a qualquer instante aparecer em alta velocidade vindo sentido de Pacaembu, pois, nesse pequeno trecho há um ponto cego, o cruzamento fica num pequeno topo, com isso caso venha algum carro, mesmo em velocidade compatível da pista, fica muito em cima para ter alguma reação e evitar algum possível acidente, pois, não existe visibilidade.
Como até o presente momento não foi tomada nenhuma atitude por parte do governo para resolver a questão e minimizar o perigo que aquela região apresenta, um acidente de trânsito ocorreu na tarde do com a morte de um homem naquele mesmo trecho.
Segundo a Polícia Militar, o acidente ocorreu com uma colisão transversal entre um GM Ômega, com placas de Tupi Paulista e um GM Celta, com identificação de Campinas (SP).
Segundo informações, o condutor do Ômega foi cruzar a rodovia para fazer o contorno da alça do trevo da penitenciaria de Irapuru/SP, quando o veículo “afogou”, e o Celta, que transitava pela estrada no sentido Pacaembu – Irapuru, não conseguiu frear.
A batida deixou outras cinco vítimas. O homem que morreu era ocupante do GM Ômega.
No Ômega ainda haviam quatro pessoas, sendo que três tiveram ferimentos leves e outra grave. Elas foram socorridas no Pronto Atendimento Municipal de Junqueirópolis. Já o condutor do GM Celta foi socorrido em Dracena com ferimentos leves.
Diante desse ocorrido, se caso tivessem lombadas instaladas na rodovia a alguns metros do trevo, antes de chegar à rotatória, tanto no sentido de Irapuru para Pacaembu e vice-versa, seria evitado esse trágico acidente, uma pessoa não teria morrido e outras não teria se machucado, família não estaria chorando a perda de um ente querido.
Este jornal por muitas edições vem mostrando o perigo quando vários acidentes tem ocorrido no local, inclusive com vítimas fatais e de nada ter sido feito para a segurança do local. Quando da remodelação da SP-294, todos os municípios foram beneficiados, chegando ao ponto de Santa Mercedes receber dois modernos trevos e trechos com pistas duplas com divisórias. Em Irapuru por mais que se pedisse, nem um obstáculo foi colocado. Na época o DER alegou ser proibida a construção de obstáculos na rodovia e, na maior cara deslavada, aquele órgão deixou explicita no mesmo momento a construção de inúmeros obstáculos na mesma rodovia.
É relapso, ignorância, ou falta de comprometimento do governo do Estado e do DER para com a segurança de Irapuru?


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
You can Deixar uma resposta, ou deixar um trackback de seu próprio site.