Editorial: Divulgar é preciso

editorial_novo

Iniciado mais um período de quatro anos de mandatos tanto de prefeito, quanto de vereadores. É um momento, como já dissemos em nossas edições anteriores, de muitas esperanças para que os mandatários eleitos pelo povo, possam realmente desenvolver um trabalho que justifique essa esperança. Mesmo sabendo da real situação do municipalismo brasileiro, em função de uma política econômica propagada e não condizente com a realidade, os irapuruenses estão na expectativa de que tudo melhore, através de uma administração sensata do prefeito, com o apoio de todo o legislativo.
É certo que alguns pontos podem ser convergentes entre os poderes, mas o bom senso existe justamente para que através do diálogo possam chegar a um denominador comum, cujo resultado seja favorável ao povo de Irapuru.
Sabemos que o chefe do executivo está disposto a desenvolver um trabalho sério e, acima de tudo transparente, e levando sempre ao povo do município, as devidas informações legais para conhecimento de toda a população. Certamente nem tudo será de conhecimento dos irapuruenses, mas o máximo possível deve ser feito. Desde as publicações dos atos oficiais, como também das informações gerais, é importante para que todos possam melhor conhecer o que se faz e como está sendo feita cada etapa dos trabalhos do executivo e do legislativo.
Os atos oficiais devem ser publicados para que cheguem ao maior número de irapuruenses, através de seu órgão de imprensa, como determina a Lei Orgânica do Município de Irapuru. Isso foi proposto e aprovado pelo Legislativo Municipal, justamente para que ninguém possa alegar ignorância. É justamente por esse motivo que cada município busca sempre manter o seu órgão de imprensa escrita, para garantir a perpetuação das informações, pois podem ser comprovadas oficialmente pela impressa, que se constituiu justamente para dar essa garantia.
Como ninguém pode ignorar a lei, essa atitude de se divulgar os atos oficiais, é justamente para conduzir as informações para as pessoas que, realmente residem na comunidade e dispõem de um órgão de imprensa para levar a seus conhecimentos tudo que lhe é de interesse. Fora isso, de nada se aproveita.
Assim, deve haver um maior entrosamento em todas as ações do executivo, legislativo e atrelado ao quarto poder que é a imprensa e que serve a essa comunidade. Somente assim, haverá um caminho a ser percorrido, com a obrigação de se divulgar e que essa informação chegue realmente ao ponto de real interesse por parte dos poderes executivo e legislativo.
Que os nossos leitores continuem sempre atentos as ações dos nossos poderes, a fim de que possam caminhar sabendo do que se faz e, de como se faz e, os porques para que assim foi feito. É uma razão democrática lógica e coerente.
Os irapuruenses devem ter um cuidado muito grande, em levar como verdadeiras e idôneas, as informações da imprensa escrita que é juridicamente constituídas e reconhecidas pelos órgãos superiores. O mundo digital, bem com as redes sociais, as informações são das mais desencontradas e por vezes não espelham a verdade. Interceptações podem haver, até mesmo em provedores e sites de credibilidade, como aconteceu ontem, nos da Folha de São Paulo, Uol e Bol, quando os seus conteúdos foram desviados para sites pornôs.
É importante que os poderes continuem sempre se prestando as atitudes de credibilidade e transparência usando sempre a mídia com sede no município, assim, com maior número de exemplares circulando entre a população. É uma forma de respeitar o cidadão e ao mesmo tempo prestigiar o que é de Irapuru.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
You can Deixar uma resposta, ou deixar um trackback de seu próprio site.